quarta-feira, 16 de maio de 2012

Meu Povo: Rô Gonzaga e Bruno Piffardini

Conheci a Rô no primeiro EnContos aqui em Pernambuco. Simpática e sorridente, empolgada e interessada, se ofereceu para cuidar das fotos do encontro e ao lado de Denise Dantas, clicaram aquela “reunião de bacana” que rolou no Bar Banquete há um ano. E ali virou uma marca registrada de nossas noites.

Bruno Piffardini é poeta de São Paulo, mas que já vive aqui em PE há alguns anos. Ele era o responsável pelo braço literário do bar Banquete e foi o curador dos nossos encontros EnContos. Um excelente escritor, com carisma e gentileza que me fez virar seu fã. Na verdade já havia conhecido este cabeludo em um sarau de poesia que participamos juntos ao grupo Nós Pós.

Rô Gonzaga tem uma inteligência e um carinho fora do comum. Não é de se vangloriar, tímida, mas ao mesmo tempo expansiva. É o tipo de pessoa que não tem como não gostar num primeiro encontro. Quando fui apresentado a ela parecia que nos conhecíamos há anos e nas próximas vezes que nos encontramos já éramos quase irmãos. Com seu inseparável oculozinhos de aro verde e seu sorriso largo foi presença constante e fundamental para aquelas noites maravilhosas e embriagadas de poesia, prosas e contos.

Bruno é professor de Latim da UFPE, dono de tiradas rápidas que contrastam com as “paradas pontuais” que dão a idéia de que está reorganizando todo o cérebro. Vi Bruno uma vez fazendo um stand-up comedy no Bar Borburinho e fiquei perdido e confuso com sua apresentação, não sei se adorei ou se odiei. Seus textos são imãs que quando lidos fazem todos prestarem a atenção e não é incomum atrair ouvintes de outras mesas para acompanhar suas idéias.

Formada em Gastronomia, Rô nunca fez um prato pra gente, amigos contistas. É uma dívida que já tentou pagar, porém ultimamente nossas agendas não andam batendo. Seus versos são viscerais e seus textos cortantes como peixeira! Hora a doçura de sobremesas delicadas, hora crus como comida japonesa, mas na maioria das vezes são picantes como os temperos e especiarias exóticas do oriente!!! Degustar seus versos é como saber que vai arder, mas ainda assim querê-los em nosso paladar!!

Rô Gonzaga e Bruno Biffardini formam um dos casais que fizeram e fazem a diferença em minha estadia por esta “velha terra nova” que é a capital pernambucana. E sei que quando eu voltar para o Rio de Janeiro levarei um pouco de cada um comigo e sei como sentirei saudades dessas duas pessoas incríveis que tive o prazer de conhecer graça a literatura!

2 comentários:

Roneide disse...

que lindooo. amei.
obrigada pela lembrança, pelo carinho.
saiba que eu te amo muito!!!
estamos morrendo de saudades de você, zaray! [disso eu posso falar no plural!]
Nossas agendas vão coincidir logo mais.

Roneide disse...

eu nem tinha essa foto minha com Bu. :~

e ela tá lindona. vou roubar! :D