sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Los Perebas Soccer

Los Perebas Soccer foi assim: certa feita Eloy, Blue e Eu conversávamos sobre nossas vidas sedentárias e de uma hora pra outra eles resolveram voltar a jogar futebol. Modalidade que joguei muitas vezes na infância como um pereba clássico. Não como eles, amadores que faziam diferenças. Eu jogava nos times do bairro por dois motivos: 1) Eu era o dono da melhor bola e 2) Topava ser goleiro. Mas ainda assim, nunca fui bom no gol. Além desses dois motivos, depois de inserido ao grupo, era eu quem organizava as peladas. Fazia até campeonatos com times de outros bairros e de outras escolas.

Por isso topei, mais uma vez, organizar uma peladinha as terças-feiras na quadra da Praça da Rádio Solimões. Convidamos os poetas e outros amigos para tal empreitada, pois precisávamos ter ao menos dois times para isso. Claro que eram times super mistos, com alguns de nossos amigos e amigas, namoradas, filhos e alguns outros curiosos.

Batizamos logo nossa pelada de LOS PEREBAS para mostrar que ninguém jogava bem e tal. Quando alguém queria jogar “a vera” avisávamos que ali era apenas uma brincadeira e quem quisesse jogar sério que montasse sua própria pelada. A poeta Lírian Tabosa já nos seus 60 anos era a goleira de um time, o Hugo Imperiano com seus 8 ou 9 anos era atacante de outro. Kátia Vidal e Gisela Barros zagueiras que jogavam bem mais que eu.

Em frente à quadra ficava o trailer do Bigode (não “o” Bigode Le Mustache, mas sim um genérico) e da Céia. Eles ficavam muito felizes com nossas peladas, afinal, eram caixas e mais caixas de cervejas consumidas pelos “atletas” (na primeira pelada eu não agüentei 15 minutos correndo) que depois enchiam a cara e pela turma que só se concentrava mas não jogava.

Logo o trailer virou mais um point nosso, e de fato, sempre tinha mais gente na “concentração” que na quadra. O sucesso do Los Perebas foi tanto que fizemos um histórico “amigo-oculto” (aqui em Recife, amigo-secreto) reunindo uma galera gigante e o engraçado é que ela era muito diversificada: tinha idosos, crianças, intelectuais, playboys, poetas, cachaceiros e muito mais.

Nosso futebol durou um pouco mais que um ano, nosso futebol. Foi todo o ano de 1997 até a Copa do Mundo de 98 (chegamos a assistir um jogo do Brasil no trailer, mas migramos para a Zoé 90 – e esta já é outra história para o futuro) quando alguns peladeiros começaram a se levar muito a sério e nós mesmo, fundadores, já não podíamos mais jogar. Era perigoso para as senhoras e para as crianças e disputado demais para nós, meros perebas.

Los Perebas Soccer foi uma daquelas coisas que começam despretensiosamente e se tornam geniais pelo mesmo fator que tornou tudo que fizemos até hoje tão apaixonante. Los Perebas Soccer não passava de uma grande reunião de amigos. Nada mais que uma celebração das nossas amizades! Gol para gente!

6 comentários:

Denise disse...

Adorei!

silvana disse...

Com orgulho, lembro, que eu ficava na concentração!!!!!! Bjs

Danilo Rodrigues disse...

Gostei deste time de futebol. Queria ter participado dele, pena que não era vivo ainda.

Lírian Tabosa disse...

Como foram boas aquelas peladas com os perebas às terças-feiras puxadas a cerveja. Tenho saudades.

Marcello Comuna disse...

Amei demais da conta!

Maior moral aí, tô no Zarayland!

Foi através dos Los Perebas que conheci um dos mais belos seres humanos - você!

Ansioso por março para te ver!

Abraço dindo!

André Eira Muguet disse...

caraca mané! eram cinco minutos de futebol, contando o tempo que ficávamos na grade pedindo o copo com cerva gelada, e trinta no trailer. depois quem aguentava jogar mais cinco voltava. kkkkkkkkk! e a cachorrinha que jogava com a gente! Moduca deve lembrar o nome dela. histórico! tinha até uma plateia assídua. bacana!