domingo, 24 de abril de 2011

MEU POVO: LOBO

Sérgio Gama Lobo, o Lobo do Bar. Conheci o “velho sujo” num Evento em Niterói no DCE da UFF. Eu, Alcides Eloy e Jr. Júnior (Decúbito Dorsal) e Sandro Marschhausen fomos declamar poemas lá e compramos 250 latinhas de cervejas.

Bebendo todas no “fundão” do Teatro, vibrávamos a cada poeta que subia ao palco com a empolgação de moleuqes bêbados. O Desmaio Públiko já estava consolidado como um canal de divulgação para poetas iguaçuanos e d’outros cantos do Brasil. Num determinado momento daquela noite subiu ao palco um poeta de barbas brancas, chapéu, colete de fotógrafo e voz gutural. Eloy começou o corinho: “Kenny Rogers, Kenny Rogers” e rimos muito, mas a poesia daquele bardo me chamou a atenção. No final das apresentações fui até o seu stand onde vendia seu livro. Apresentei-me e comuniquei que já o havia publicado em nosso periódico o que deixou aquele “coroa” feliz como um menino em dia de Natal.

A partir daquele momento tivemos uma relação estreita com Niterói e Lobo com Nova Iguaçu na qual ele chamava de seu “Domicílio Poético”. Lobo havia lançado o livro “Letras ao Portador” pela Editora Cromos em 1992 e estava em plena divulgação. Logo os poetas do Desmaio viraram sua “banda de apoio” para todo e qualquer lançamento. Fizemos em Nova Iguaçu, Niterói e ainda fomos para Curitiba na Feira do Poeta, viagem histórica para mim.

Tempos depois, junto com Moduan Matus criei o projeto COBAIA para edições de livrinhos alternativos, impressos numa HP Laserjet da empresa em que eu trabalhava na época. Acabamos lançando o segundo livro do Lobo: “Poemas Sujos de Um Velho” – Uma coletânea de poemas escatológicos e pornográficos que coube bem ao formato “fanzine” de nossas publicações. Lobo estava com um livro pronto “Lobotomia”, mas que infelizmente não viu a luz do dia ainda, pois Lobo veio a falecer em 2002 deixando um grande vazio para todos nós.

Lobo era alegria pura. Às vezes lembrava uma criança deslumbrada com um novo brinquedo, outras vezes era crítico e mordaz como um sátiro impiedoso. Leitor compulsivo, Lobo falava quatro idiomas e lia – recorrendo a sua coleção de dicionários – em outros tantos. Era um admirador de várias vertentes artísticas. Adorava quadrinhos, jazz, cinema, poesia, história, colecionava chapéus, fumava charutos e adorava uma mesa de bar.

Tive a honra e o prazer de compartilhar vários e vários momentos ao seu lado e até hoje sinto muita falta deste amigo talentoso, atento e visceral. Amanhã (25/04) Lobo faria aniversário. Fica aqui minha homenagem, prometendo em outra oportunidade contar historinhas deliciosas das andanças de Sergio Gama Lobo pelo nosso mundo.

Segue um dos meus poemas preferidos de seu primeiro livro:

PARA EVITAR ACIDENTES

Ao saires de minha vida
Certifique-se
De não teres deixado esquecido
Algo do afeto
Que nos unia

Ao saires de minha vida
Certifique-se
De não teres deixado
Ainda acesa
Brilhando
Algo da chama
Que nos aquecia


9 comentários:

Denise disse...

Lindo!
Você tem que contar as frases únicas e historias que você me conta dele.
Bjs

Marcello Comuna disse...

Velho Lobo!

Hugo Mendes Guimarães disse...

Lembro eu,pequeno,Lendo Lobo nas coisas do meu irmao 'animal' :)
e de colocarmos no nosso poesia&cia as palavras dele.
Cezar,
onde encontro seus livros? poesias?
queria ver.
abraçoo

silvana disse...

Você mais uma vez emocionou. Valeu! E é legal lembrar do Lobo assim, o mais poeticamente possível!!!

Vanessa Rodrigues disse...

Parei de ler em 250 latinhas de cerveja. Putz!

Brincando. O que acho mais interessante é como a sua cabeça armazena diversas informações. A riqueza de detalhes é que torna essas história super verdadeiras para nós, leitores assíduos do Zarayland.

Fiquei interessada no livro “Poemas Sujos de Um Velho”. Você tem um exemplar?

Com certeza Nova Iguaçu é domicílio poético desses seres fantásticos que exalam poesia e arte por todos os poros.

Sou fã de carteirinha.

jamestantow disse...

Aqui é Ana Leonor (LOLA)

Muito obrigada Cezar!
Estou em prantos e não sei nem o que dizer. Se você sente falta do velho Lobo imagina eu, que vivi preciosos momentos a seu lado. Ainda sinto tanto a falta dele. Mas hoje é dia de comemorar. Brindemos a ele.

COLECIONADOR

CAPTUREI
TEUS SUSPIROS
ROLANDO UM A UM
PELO CEU DA BOCA
VOU DEVOLVER LÔLA
EM FORMAS DE BEIJOS

Abraços!!!!!!!!!!

... disse...

Cezar, valeu pela homenagem para o meu pai =D

adorei rs'

... disse...

http://lllgaga.tumblr.com/ < olha só, fiz uma homenagem também rs', vê se ficou legal *--*

Arte e Cultura Popular disse...

Cara velho lobo a emoção me trai agora e não consigo parar de chorar não de tristeza porque os momentos vividos foram fantásticos mais o que digo agora com certeza é puta que pariu valeu!!!