terça-feira, 28 de junho de 2011

Recife Frio – Kleber Mendonça Filho

A primeira pessoa que me falou sobre este filme foi o BiOn! Um dos cabeças do Cineclube Buraco do Getúlio - que completa 05 anos, sábado dia 02 de julho de 2011 – quando esteve em minha casa aqui em Recife com Belão (parceiro que se interessou em fazer um filme sobre o Desmaio Públiko). Mas demorei para encontrar o curta. Na verdade não havia disponibilidade no Youtube, como hoje, e nem o DVD físico para ser comprado.

Meses se passaram e li uma matéria elogiosa sobre o filme, e que ele estava à venda na Livraria Cultura por R$ 12,00. Fui lá, mas havia esgotado. Encomendei e dois dias depois o adquiri.

Já sabia do que se tratava, porém fiquei impressionado com a qualidade da película (que na verdade, acho, é digital).

Ele, o filme, é um documentário fake sobre um Recife frio. Narrado por um correspondente internacional de uma TV hispânica. Conta o que aconteceu com a capital do frevo depois que sua temperatura tropical, com variações pequenas, nunca abaixo de 23 graus, de uma hora para outra cai a menos de 14 graus.

Como Recife se transforma, desde seus repentistas até investidores estrangeiros em pousadas das praias paradisíacas que acabam se fudendo pelo novo clima frio. Desde um Papai Noel que sofria com o calor em pleno dezembro até famílias de classe média alta que, com seus apartamentos ventilados a beira mar, ficam a mercê do frio inesperado.

O filme de mais ou menos 30 minutos é interessantíssimo em todas as suas nuances. Do efeito de fumacinha saindo das bocas dos entrevistados, a Avenida Boa Viagem cheia de placas de vende-se em seus prédios imponentes, ou dos artesanatos adaptados para o novo clima.

Mas o curta, além de divertido, é tenso, crítico. Kleber Mendonça dosa bem momentos hilários com denúncias sobre a verticalização e desumanização da cidade, bem antes ainda da mudança climática.

Impagável Lia de Itamaracá cantando uma ciranda para um grupo de cirandeiros de cachecol, touca, luva e sobretudo.

O curta ganhou diversos prêmios pelo Brasil e pelo mundo, não a toa. Ele é um petardo lisérgico de um diretor visionário. Recife Frio é um filme para quem vive em Recife e conhece seus aspectos peculiares. Mas também para todos de qualquer cidade que gostem de cinema bem feito, seja ele uma ficção, um documentário ou ainda um híbrido fantástico. Procurem, vale a pena a busca.

Assita a cena do Papai Noel aqui:

6 comentários:

Denise disse...

Adoro a parte em que o garoto rouba o quarto da empregada!!
Esse é bom mesmo até o André vizinho que não gosta de curta curtiu!!
srsrrs...

Vanessa Rodrigues disse...

Recife Frio...

só de imaginar dá calafrio!!!

escapuliu!

=P

Roneide disse...

Ainda não assisti! :(

Gerusa Leal disse...

Vale demais conferir. Assisti quando foi lançado, no CINE PE, e já revi em outras exibições. O diabo é que se o tempo continuar como vai, o filme, pelo menos quanto ao clima, vai se tornar profético...rs

Beluska disse...

Recife Frio tem uma característica que o torna um ótimo filme: a ironia. A maneira pela qual o Recife é descrito por um argentino é um tapa com luva de pelica no Brasil 'país tropical'.
A ideia "e se..." é fantástica. E se... não houvesse o sol forte, o calor, o que seria dessa cultura tropical? O que seria da alegria nordestina? O que seria da indústria do sol?

O tom simpático fica por conta dos 'personagens' nordestinos simulando um frio que não faz parte da sua realidade.

Análise social.
Humor fino.
Xeque mate.

Flor Baez disse...

Fiquei curiosa para assistir!
Não sei se você é contra a pirataria, mas se não for faça uma cópia pra mim! :)